As principais dúvidas sobre saúde da mulher

As principais dúvidas sobre saúde da mulher

Sem dúvida, a saúde da mulher é uma prioridade. Além de serem a maioria da população brasileira (51,7% segundo a pesquisa do PNAD 2018), elas também são cuidadoras não só das crianças, como de outros membros da família e da comunidade.

Segundo o Ministério da Saúde, a situação da saúde da mulher envolve diversos aspectos da vida, como a relação com o meio ambiente, o lazer, a alimentação e as condições de trabalho, moradia e renda. No caso das mulheres, os problemas são agravados pela discriminação nas relações de trabalho e a sobrecarga com as responsabilidades do trabalho doméstico. 

No mês de Março comemoramos o Dia Internacional da Mulher, uma data que marca a luta por igualdade de gênero e mobiliza o mundo em prol dos direitos das mulheres.

Para celebrar o mês da mulher, convidamos a Ginecologista e obstetra Dra. Bárbara Bastos para falar sobre as principais dúvidas relacionadas a saúde da mulher.

 

Principais dúvidas sobre saúde da mulher 

saúde da mulher

Visitar o ginecologista regularmente é fundamental para as mulheres, especialmente no que diz respeito à saúde íntima e à vida sexual. No entanto, é comum muitas terem vergonha ou se sentirem desconfortáveis para falarem abertamente sobre determinadas questões.

É por isso que a Dra Bárbara respondeu as principais dúvidas quando o assunto é saúde da mulher. Mas é importante saber que o conteúdo desse artigo não substitui a visita ao médico. Essas informações podem te ajudar a perceber que não é necessário sentir vergonha e que a saúde da mulher é realmente muito importante.

 

  • Qual o método contraceptivo mais seguro e indicado?

R: Dispositivos intra uterinos, implantes contraceptivos e diversos métodos de esterilização feminina e masculina. São considerados mais efetivos e são caracterizados pela facilidade do uso. Esses métodos são considerados de primeira linha. Os de segunda linha são os contraceptivos hormonais sistêmicos disponíveis em comprimidos orais, injeção intramuscular, adesivos intradérmicos ou anéis vaginais. A indicação depende de caso a caso.

 

  • Pontos importantes sobre o uso da pílula-anticoncepcional?

R: É essencial usar corretamente. Se uma pílula for esquecida e não ultrapassou as 12 hrs da tomada, pode tomar quando lembrar. Mas se passou de 12 horas, tomar com a pílula do dia. Por exemplo: Se você toma a pílula sempre às 21 horas e lembrou que não tomou às 7 horas do outro dia, tome a pílula. Mas se lembrou depois das 9 horas tomar com a pílula do dia.

 

  • Recomendações para evitar a cólica menstrual e como aliviar os sintomas? 

R: A dismenorreia, que é a cólica menstrual, ocorre por um processo de descamação endometrial onde as células liberam prostaglandinas no início da menstruação. O tratamento seria o uso de anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno ou ponstan. Uso dos anticoncepcionais orais contínuos e o uso de anticoncepcional que contenha somente progestogênio também são efetivos no tratamento de dismenorreia.

saúde da mulher

 

  • Como prevenir a infecção urinária?

R: Ingestão hídrica, não segurar a urina, urinar pós coito e em mulheres menopausadas realizar terapia estrogênica.

 

  • Principais sintomas da menopausa e o que fazer quando eles aparecem?

R: Os principais sintomas são fogachos, insônia, irritabilidade e transtornos do humor. Além dos sintomas, é possível haver alterações físicas como atrofia vaginal, incontinência urinária de esforço e atrofia de pele. Cada caso é um caso, dependem se a paciente se incomoda com os sintomas ou não. É necessário uma boa avaliação. 

 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre essas questões, percebeu que não precisa ter receio de tocar no assunto com o seu médico?

E não deixe de visitar o ginecologista regularmente. O ideal é que, a partir da primeira menstruação, as consultas aconteçam pelo menos uma vez ao ano. 

A Dra. Bárbara Bastos que respondeu nossas perguntas, atende pela Multiclin, parceira do Cartão Redesul. Você pode agendar sua consulta e usufruir dos benefícios do seu convênio médico.

 E se você ainda não tem um Cartão Redesul, conheça nossos planos e garanta o seu. Se tiver dúvidas, entre em contato conosco.

Agradecemos a participação e colaboração da Dra. Bárbara Bastos.

saúde da mulher

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *